tricotilomania

Tricotilomania: o que é e como tratar?

A tricotilomania é conhecida como o distúrbio de “puxar os cabelos”. Esta é uma alteração mental que envolve impulsos recorrentes e irresistíveis de arrancar os próprios cabelos do couro cabeludo, sobrancelhas ou outras áreas do corpo.

O cabelo arrancado geralmente deixa manchas calvas e irregulares, gerando sofrimento significativo. O distúrbio pode interferir na interação social e profissional, obrigando o paciente a fazer grandes esforços para disfarçar a perda de cabelo.

Para algumas pessoas, a tricotilomania pode ser leve e gerenciável. Para outros, o desejo compulsivo de puxar o cabelo é esmagador. Abaixo, alguns detalhes a mais sobre a doença.

Principais sintomas da tricotilomania

Os sinais e sintomas da tricotilomania incluem:

  • Puxar os fios do próprio corpo, como do couro cabeludo, sobrancelhas ou cílios. Pode ser, inclusive, de outras áreas, podendo variar os locais com o tempo;
  • Sensação de tensão antes de puxar, ou ao tentar resistir ao impulso;
  • Sensação de prazer ou alívio depois que o cabelo é puxado;
  • Perda de cabelo perceptível, como áreas finas e calvas no couro cabeludo, incluindo cílios e sobrancelhas esparsas ou ausentes;
  • Preferência por tipos específicos de cabelo, rituais ou padrões que acompanham puxões de cabelo;
  • Morder, mastigar ou comer pelos arrancados (conhecido como tricotilofagia);
  • Brincar com o cabelo arrancado, ou esfregando-os nos lábios ou no rosto;
  • Tentar parar de puxar os próprios cabelos, porém, sem sucesso;
  • Sofrimento ou problemas significativos no trabalho, na escola ou em situações sociais relacionadas com o arrancar de cabelos.

Muitas pessoas que têm tricotilomania também puxam a pele, roem as unhas ou mordem os lábios. Às vezes, puxar cabelos de animais de estimação, bonecas ou de materiais, como roupas ou cobertores, também podem ser um sinal. A maioria das pessoas com tricotilomania puxam o cabelo quando estão sozinhas, tentando esconder o distúrbio dos outros.

Tratamentos para a tricotilomania

A pesquisa no tratamento de tricotilomania é limitada. No entanto, algumas opções de tratamento ajudaram muitas pessoas a reduzir ou a parar completamente com seus impulsos. Veja algumas opções de tratamento para este distúrbio.

Terapia

Tipos de terapia que podem ser úteis para a tricotilomania incluem:

  • Treinamento de reversão de hábitos. Terapia comportamental. Você aprende a reconhecer situações em que provavelmente puxa o cabelo, substituindo-as por novos comportamentos. Por exemplo, você pode cerrar os punhos para ajudar a parar o impulso ou redirecionar a mão do seu cabelo para o ouvido. Outras terapias podem ser usadas junto com o treinamento de reversão de hábitos;
  • Terapia cognitiva. Esta terapia pode ajudá-lo a identificar e examinar as crenças distorcidas que possam ter em relação ao puxar os cabelos;
  • Terapia de aceitação e compromisso. Esta terapia pode ajudá-lo a aprender a aceitar seus impulsos sem agir sobre eles.

Terapias que auxiliam em outros transtornos mentais, frequentemente associados à tricotilomania, como depressão, ansiedade ou abuso de substâncias, podem ser uma parte importante do tratamento.

Medicamentos

Embora nenhum medicamento seja diretamente associado à tricotilomania, alguns podem ajudar a controlar os sintomas.

Por exemplo, seu médico pode recomendar o uso de antidepressivos ou ansiolíticos, que sugere benefícios nos quadros relacionados aos sintomas.

Por fim, converse com um especialista sobre qualquer medicamento indicado para a tricotilomania. Os possíveis benefícios devem sempre ser balanceados contra possíveis efeitos colaterais, causados por cada tipo de droga.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em Foz do Iguaçu!

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe