depressão

Como funciona o tratamento para depressão?

A depressão é um dos problemas de saúde mental mais comuns no mundo. Considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como o “Mal do Século”, ela é um distúrbio afetivo que prejudica o emocional do indivíduo, que passa a apresentar tristeza profunda, falta de apetite, perda de ânimo e de interesse geral na vida.

A depressão atinge mais de 300 milhões de pessoas de todas as idades pelo mundo, segundo a OMS. No Brasil, a estimativa é que 5,8% da população seja afetada pela doença. 

Quando o quadro se instala, se não for tratado convenientemente, a doença costuma levar vários meses para desaparecer. Além disso, a depressão é também uma doença recorrente. Quem já teve um episódio na vida, apresenta cerca de 50% de possibilidades de manifestar outro.

Tratamentos para a depressão

Antes de se iniciar o tratamento para a depressão, é preciso fazer um diagnóstico completo do paciente, que ajudará a identificar as causas que levam a esse estado.

Normalmente, o tratamento é feito de maneira multidisciplinar, com psiquiatra, psicólogo, além de atividades físicas ou de relaxamento.

Confira as principais opções terapêuticas para esta doença.

Acompanhamento psiquiátrico

É importante que o paciente com depressão faça o acompanhamento com um médico psiquiatra. Somente um médico especializado poderá indicar medicamentos e tratamentos que possam ajudar o paciente com a doença. A depressão não tem tempo para passar. Pode durar dias, semanas, meses ou anos. Por isso, é importante que o psiquiatra acompanhe todo o tratamento e, junto com o paciente, avalie os resultados alcançados e a ação de cada tratamento.

Medicamentos

Por muitos anos o tratamento medicamentoso para a depressão era visto como prejudicial, mas, hoje, sabe-se que eles são essenciais em alguns casos. Os medicamentos antidepressivos aumentam a oferta de neurotransmissores e promovem o retorno ao estado normal do paciente. Caso o paciente não consiga se adaptar a um medicamento, o médico poderá receitar outras opções. Por isso, é importante que todo o acompanhamento seja feito com um médico capacitado, que possa analisar os sintomas e as reações em cada indivíduo.

Psicoterapia

A psicoterapia é essencial no tratamento da depressão. Com ela, o paciente consegue evitar novos episódios, e entender o processo da doença. Além disso, a psicoterapia contribui para a compreensão sobre os fatores que desencadeiam a depressão, bem como reduzir seus sintomas.

O psicólogo é o profissional capacitado para realizar a psicoterapia, e poderá trabalhar os eventos que levaram o paciente a desenvolver a doença. É recomendado que o psicólogo e psiquiatra tenham contato e possam, juntos, estudar cada caso, além de novas formas de ajudar o paciente.

Exercícios físicos

Um estudo realizado pelo Centro Médico de Southwestern, na Universidade do Texas (EUA), descobriu que a prática de exercícios aeróbicos regulares pode reduzir os sintomas da depressão pela metade. Além de aliviar os sintomas da ansiedade, a atividade física proporciona distração, convívio social e libera substâncias positivas, como endorfina e serotonina, responsáveis por melhorar o humor. Bastam 15 a 30 minutos de exercícios em dias alternados, para sentir os efeitos positivos.

Por fim, o acompanhamento e apoio da família é fundamental. Eles devem ter paciência e ajudar o paciente a seguir todas as recomendações médicas, além de não julgar ou criticar o indivíduo com depressão por estar neste estado.

 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em Foz do Iguaçu!

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe