Transtornos específicos de aprendizagem

O que são transtornos específicos de aprendizagem?

Transtornos específicos de aprendizagem são distúrbios neurológicos que afetam as funções cognitivas do indivíduo, fazendo com que o paciente não seja capaz de analisar e interpretar determinadas informações como os demais.

Isso ocorre porque o processo de conhecimento se torna muito complexo, podendo ser a leitura, a escrita ou a matemática.

Existem tratamentos que ajudam a melhorar os sintomas, trazendo bem-estar e controle das dificuldades apresentadas. Mas, para isso, é importante compreender os diferentes tipos de transtornos e quais os cuidados que devem ser tomados.

O que são os transtornos específicos de aprendizagem?

São alterações de neurodesenvolvimento que provocam inabilidade em determinados tipos de aprendizagem, seja a leitura, a escrita ou os cálculos matemáticos. Nesses casos, a criança apresenta resultados de aprendizagem e desenvolvimento abaixo do esperado em crianças da mesma idade.

Isso significa que, em alguma dessas áreas, a criança terá dificuldades na escola para aprender e obter novos conhecimentos.

Apesar de os transtornos específicos de aprendizagem não terem causas definidas, acredita-se que essas alterações se manifestam por questões multifatoriais.

As disfunções prejudicam os padrões normais de habilidade, sem necessariamente serem provocadas pela ausência de estímulos, ou ocasionadas por algum tipo de trauma.

Para diagnosticar uma espécie de transtorno, é importante observar comportamentos multidisciplinares do paciente, como os neurológicos, fonoaudiológicos e psicológicos.

Quais os tipos existentes?

Existem basicamente três tipos de transtornos específicos de aprendizagem. Conheça cada um deles a seguir:

Transtorno da leitura

Quando a criança apresenta este tipo, ela tem dificuldades em compreender a escrita das palavras. Sendo assim, o tempo de aprendizagem da leitura e interpretação das palavras é mais lento do que em crianças na mesma fase.

Para identificar essa disfunção, é importante analisar o rendimento da capacidade de leitura do paciente, verificando a correção, velocidade e compreensão manifestada. Se houver um nível inferior que a média para a idade, então, pode ser um sinal do transtorno.

O indivíduo também apresenta complexidade para lidar com atividades do cotidiano, se tornando mais lento ao se deparar com artigos escritos.

Transtorno da escrita

É quando a habilidade de escrever é complicada por dificuldades com a ortografia ou a caligrafia. Dessa forma, há uma combinação entre as incapacidades de compor textos, apresentando erros gramaticais, inabilidade na organização e coesão dos parágrafos, ou mesmo inexistência de pontuações.

Transtorno da matemática

Este problema também é chamado de discalculia e está relacionado com a forma como a criança associa a matemática com a realidade.

Ou seja, a aquisição de conceitos matemáticos e a maneira de raciocinar são afetados. Com isso, o paciente tem dificuldade em trabalhar com os números, sendo demasiadamente complexo para ele se deparar com conceitos ou símbolos matemáticos.

Para diagnosticar a patologia, é necessário avaliar a capacidade do indivíduo com aritmética e raciocínio lógico; dificuldades linguísticas para compreender termos de cálculos e operações, além de falta de atenção.

Para tratar os transtornos específicos de aprendizagem é importante contar com ajuda de especialistas que irão identificar a área que a criança apresenta maior dificuldade.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em Foz do Iguaçu!

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe