Transtorno dismórfico corporal

Transtorno dismórfico corporal: sintomas, diagnóstico e tratamento

Boa parte das pessoas tem alguma característica que não gostam no corpo. Ficam incomodadas e gostariam de mudar a aparência. Isso é absolutamente normal. Mas as pessoas que têm transtorno dismórfico corporal pensam em suas falhas reais ou imaginárias todos os dias de forma obsessiva.

Elas não conseguem controlar seus pensamentos negativos em relação ao próprio corpo e não acreditam em pessoas que elogiam a sua aparência. Seus pensamentos podem causar sofrimento emocional severo e interferir em seu funcionamento diário. Elas podem perder o trabalho ou a escola, evitar situações sociais e isolar-se, até mesmo da família e dos amigos, porque temem que os outros notem suas falhas.

Para quem não conhece o problema, elaborei este artigo trazendo os sintomas diagnóstico e tratamento do transtorno dismórfico corporal.

Quais os sinais e sintomas do Transtorno Dismórfico Corporal?

Pessoas com transtorno dismórfico sofrem de obsessões sobre sua aparência, que podem durar horas ou dias. Difícil de resistir ou controlar, essa fixação torna impossível para as pessoas se concentrarem em qualquer coisa além de suas imperfeições. Isso pode levar a baixa autoestima e isolamento, o que resulta em problemas no trabalho ou na escola.

Os indivíduos afetados podem realizar algum tipo de comportamento compulsivo ou repetitivo para tentar esconder ou melhorar suas falhas, embora esses comportamentos geralmente forneçam apenas um alívio temporário.

Alguns exemplos desse comportamento (ou sintomas) são:

  • camuflagem (com a posição do corpo, roupas, maquiagem, cabelo, chapéus);
  • comparação com os outros;
  • busca por cirurgias plásticas;
  • evitar espelhos;
  • arrumação excessiva;
  • exercício físico excessivo;
  • troca excessiva de roupa;

Como acontece o diagnóstico?

Esse tipo de transtorno também pode ser diagnosticado erroneamente como outro distúrbio similar, como transtorno social, transtorno alimentar ou transtorno obsessivo compulsivo. Isso se dá porque eles compartilham sintomas semelhantes.

Somente um profissional capacitado pode realizar o diagnóstico preciso para diferenciar os sintomas e revelar qual é o real problema.

Como se dá o tratamento?

Para obter um diagnóstico preciso e tratamento adequado, as pessoas devem mencionar especificamente suas preocupações com sua aparência quando conversam com um médico ou profissional de saúde mental. Um clínico treinado deve diagnosticar o TDC.

No entanto, você pode fazer um autoteste que pode ajudar a sugerir se o transtorno dismórfico está presente, mas não oferecerá um diagnóstico definitivo.

Se a criança estiver preocupada com a aparência, de modo a interferir com a concentração na escola ou se os comportamentos listados acima aparecerem, fale com um profissional de saúde mental.

Tratamentos eficazes estão disponíveis para ajudar os portadores do transtorno a viverem uma vida plena e produtiva.

A terapia cognitivo-comportamental ensina aos pacientes a reconhecer pensamentos irracionais e mudar padrões de pensamento negativo. Os pacientes aprendem a identificar maneiras não saudáveis ​​de pensar ou se comportar e substituí-los por positivos.

Medicamentos antidepressivos podem ajudar a aliviar os sintomas obsessivos e compulsivos do TDC. Isso inclui os inibidores seletivos da recaptação da serotonina

Por fim, saiba que o tratamento é adaptado a cada paciente. Por isso é importante conversar com um médico para determinar a melhor abordagem individual. Muitos médicos recomendam o uso de uma combinação de tratamentos para obter melhores resultados.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em Foz do Iguaçu!

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe