Transtorno Afetivo Bipolar

Quais são as fases do Transtorno Afetivo Bipolar?

O Transtorno Afetivo Bipolar, também conhecido como bipolaridade, ou distúrbio bipolar, é uma condição mental grave, caracterizada pela alternância de humor entre a depressão (com momentos de profundo desânimo) e a mania (marcada por episódios de euforia). A frequência é variada, assim como a intensidade do quadro, que pode ser leve, moderada ou grave.

As causas do transtorno bipolar não são totalmente compreendidas. Na maioria dos casos, existe o fator hereditário como causa. O primeiro episódio de mania ou depressão ocorre na adolescência, ou no início da fase adulta. A doença afeta igualmente homens e mulheres.

Apesar de o senso comum considerar que o transtorno afetivo bipolar se resume a episódios de alegria e tristeza, a doença possui três fases: mania, depressão e hipomania.

Conheça cada uma delas a seguir.

Fases do Transtorno Afetivo Bipolar

Mania 

É a fase caracterizada por um estado de exaltação do humor, com aumento de energia. O paciente também pode estar irritável, apresentar senso de humor arrogante e ter até mesmo episódios repentinos de fúria. Nesta fase, o paciente não está deprimido ou alegre por um motivo especial, mas apresenta humor eufórico, irritável ou mesmo arrogante. Normalmente, a mudança do comportamento na mania é súbita, mas o indivíduo não percebe a sua alteração, ou a atribui a algum fator externo.

Depressão

Nesta fase, o paciente apresenta sintomas típicos da depressão, como:

  • humor deprimido;
  • falta de energia;
  • falta de iniciativa e vontade;
  • falta de prazer;
  • alteração do sono;
  • alteração do apetite;
  • lentidão intelectual;
  • lentidão motora. 

Existe a depressão bipolar tipo 1, que é intercalada com episódios de mania, e a do tipo 2, na qual os episódios fora da depressão apresentem euforia menos intensa.

Hipomania

É considerado um estado de mania mais leve, com menos prejuízos ao paciente. Por ser leve, tal estado pode passar despercebido. Por isso, muitas pessoas que apresentam a fase hipomaníaca acabam evoluindo para a fase maníaca e, por não apresentarem sintomas tão graves, podem negligenciar o tratamento e prejudicar sua estabilização emocional.

 

O diagnóstico do transtorno é feito com base em relatos do paciente e de familiares. Se houver suspeita de que outras doenças sejam responsáveis pelos sintomas descritos pelo paciente, o médico deverá solicitar a realização de exames específicos. O tipo de exame irá depender de pessoa para pessoa.

O transtorno afetivo bipolar não tem cura, mas pode ser controlado, proporcionando melhor qualidade de vida ao paciente. Normalmente, o tratamento inclui o uso de medicamentos e ajuda psicológica.

 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em Foz do Iguaçu!

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe