cuisine-2248567_1920

O que é anorexia nervosa?

A anorexia nervosa é uma doença, caracterizada pela busca obsessiva pelo emagrecimento. Para além disso, pessoas diagnosticadas com o problema têm visão distorcida do próprio corpo, além de problemas de autoestima.

A pessoa anoréxica faz restrição de consumo de alimentos, podem fazer exercícios de forma descabida ou jejuar por um ou mais dias. Em muitos casos, o paciente apresenta pavor irracional de engordar.

Assim como a bulimia, a anorexia é uma doença mais comum entre as mulheres. Ela também afeta especialmente as adolescentes e jovens adultas. Está atrelada especialmente ao padrão social vigente no ocidente, que incentiva o controle calórico e a manutenção de um corpo magro (o qual, convém dizer, nem sempre está associado à saúde).

Existem dois tipos de anorexia nervosa:

  • Restritivo: pessoas nesta condição limitam a quantidade de alimentos ou calorias ingeridos diariamente, mas não têm o costume de purgar. Podem se exercitar de forma excessiva;
  • Compulsão alimentar: indivíduos compulsivos tendem a comer grandes quantidades de comida e purgá-las depois. A purgação pode se dar por meio da utilização de laxantes ou diuréticos, vômitos, jejuns prolongados, etc.

Quais são os sintomas da anorexia nervosa?

Durante a adolescência, o problema pode surgir como uma preocupação com o peso corporal e com a adoção de dietas. Em princípio, elas podem parecer inofensivas ou pouco radicais, mas tendem a evoluir.

Conforme há diminuição do peso corporal, existe o aumento da percepção equivocada do próprio corpo. Pessoas diagnosticadas com anorexia nem sempre conseguem perceber o quão magras estão. Elas acreditam que é necessário emagrecer ainda mais. Isso, aliás, vira um objetivo a ser perseguido a qualquer custo.

Alguns dos sintomas mais comuns entre as pessoas anoréxicas são:

  • Restrição calórica ou diminuição drástica da quantidade de comida ingerida diariamente;
  • Utilização de diuréticos ou medicamentos laxativos;
  • Vômitos provocados (embora ocultos);
  • Dificuldade de socialização;
  • Afastamento de atividades sociais, que envolvam comida, como idas a bares e restaurantes;
  • Contagem obsessiva de calorias ou preocupação com as informações nutricionais de todos os alimentos que consomem;
  • Problemas de autoimagem, com a não percepção da própria magreza ou obsessão pelo aspecto corporal;
  • Diminuição da libido;
  • Diminuição ou ausência de menstruação;
  • Perda de cabelo;
  • Prisão de ventre;
  • Depressão ou ansiedade;
  • Excesso de atividade física;
  • Diminuição da densidade óssea (o que pode colaborar para o surgimento de osteoporose).

Tratamento

Uma das maiores complicações da anorexia está no fato de que muitos indivíduos não conseguem identificar o transtorno: os excessos cometidos são justificados, o que pode fazer com que o tratamento seja um pouco mais difícil.

Em geral, os indivíduos anoréxicos são levados ao consultório médico por amigos ou familiares, para cuidar de outros transtornos. A partir da análise do quadro, o especialista é capaz de diagnosticar o transtorno existente.

Quando a perda de peso é grave, o paciente pode necessitar de internação, para garantir que haja suplementação de nutrientes e a ingestão suficiente de calorias. Em alguns casos, pode ser necessária a alimentação por meio de tubo nasogástrico.

A união de profissionais da psiquiatria, da psicologia e da nutrição é primordial. Esta é uma doença bastante específica, com consequências graves e sintomas agressivos. Por isso, a multidisciplinaridade do tratamento faz toda a diferença. 

Da mesma forma, o apoio da família se faz útil e tende a auxiliar na recuperação do paciente com anorexia nervosa, que pode ter resistência ao ganho de peso ou ao próprio tratamento.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em Foz do Iguaçu!

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe